X
    Categories: Dicas

Dieta Low Carb

Dieta Low Carb
Vote neste post

Dieta Low Carb

A dieta Low Carb vem ganhando adeptos no mundo todo e no Brasil, principalmente por se tratar de uma reeducação alimentar permanente, não de uma restrição calórica temporária. Sua base está em diminuir consideravelmente a quantidade de carboidratos – dai o nome Low Carb, que significa menos carboidratos – e aumentar o consumo de gorduras, vegetais e proteínas.

A dieta tem sido recomendada por nutricionista para diversos tipos de pacientes, com foco nos que possuem um alto grau de obesidade e precisam perder peso rapidamente.

Como funciona?

Geralmente, ingerimos cerca de 55% de carboidratos durante o dia. Na Low Carb, o objetivo é diminuir este número para 40%, dando maior ênfase nas proteínas e outros alimentos. De maneira ampla, pode-se dizer que a reeducação é bastante segura, porém, precisa ser introduzida aos poucos, em especial quando aderida por pessoas que têm alto consumo de carboidratos. Isso porque o corpo se acostuma com tudo que lhe é oferecido regularmente e alguns efeitos indesejados podem aparecer se algo é retirado de maneira muito brusca. Além disso, os carboidratos presentes na alimentação precisam ser de baixo índice glicêmico, como os integrais ou batata doce, por exemplo.

Benefícios

Os benefícios da Low Carb são variados, podendo ser listados alguns deles:

  • Saciedade: Por contar justamente com o baixo índice glicêmico, a sensação de saciedade começa a aparecer logo nos primeiros dias. Além disso, os alimentos integrais possuem fibras, o que auxilia e muito no controle da fome.
  • Emagrecimento: Diversas pesquisas apontam para um emagrecimento muito mais acentuado em dietas low carb do que em dietas sem restrição de carboidratos. Isso porque geralmente o consumo de uma determinada quantidade de proteínas contém muito menos calorias do que a mesma quantidade de carboidratos, e todos sabem que menos caloria significa redução de peso.
  • Prevenção do diabetes: O excesso de carboidratos com alto índice glicêmico é uma das causas de diabetes tipo 2, porque eleva o nível de insulina no corpo, tornando-a resistente e exigindo ainda mais quantidades do hormônio. A consequência é um organismo com resistência à insulina, que caracteriza o diabetes. Como essa dieta propõe exatamente o contrário, ela pode ajudar a prevenir a doença.
  •  Prevenção de problemas cardíacos: A dieta traz um benefício extra, que é o controle do colesterol, resultando em uma saúde cardiovascular melhor. Isso porque os carboidratos e o açúcar também são responsáveis por uma série de doenças relacionadas ao coração e à alterações em exames. Por isso, muitas pessoas com colesterol elevado vem sendo direcionadas para a diminuição da ingestão de alimentos com alto índice glicêmico.

Alimentação detalhada

Neste tópico, iremos listar quais são os alimentos mais indicados na dieta Low Carb e quais devem ser evitados. Geralmente, os mais comuns no cardápio são os legumes, proteínas, frutas e gorduras, evitando os carboidratos.

  • – Verduras: Nem todas as verduras são indicadas para a dieta, já que algumas contém um alto índice de carboidratos. As ideias são: : abobrinha, brócolis, couve-flor, acelga, cogumelos, aipo, tomate cereja, couve, agrião, pimentão, aspargos, abobrinha, berinjela, espinafre, pepino, cebola, chuchu, vagem, rúcula, escarola, alho-poró, aipo e alface.
    Evite: abóbora.
    – Frutas: O mesmo ocorre com as frutas. O indicado neste caso é sempre ingerir uma fruta aliando à fibras. As frutas priorizadas são: abacate, morango, pêssego, melão e coco.
    Evite: O consumo de frutas sem fibras. Sempre que optar por elas, utilize sementes de chia de acompanhamento, por exemplo. Isso irá ajudar a dissolver a frutose presente nesses alimentos.
  • – Proteínas: Nesta dieta, as proteínas são essenciais, pois trarão a sensação de saciedade e auxiliarão no controle do peso, além de serem ótimas fontes de vitaminas. O ideal é dar preferência para fontes de proteínas mais magras, como peixes, ovos, aves, laticínios e carnes bovinas. Esses alimentos possuem nutrientes imprescindíveis para o bom funcionamento do organismo, ajudam na produção de aminoácidos e de hormônios, que ajudam na formação de músculos.
    Evite: Proteínas como bacon, linguiças, presuntos e carnes com pele (sobrecoxa) ou gorduras aparentes como cupim e picanha.
  • – Gorduras: Alimentos ricos em gordura geralmente contém baixo índice de carboidratos. Porém, nem todos são indicados para a dieta low carb. Os mais saudáveis que podem fazer parte do cardápio são: Azeite, oleaginosas e abacates.
    Evite: Industrializados de forma geral – como salgadinhos, bolachas e macarrão instantâneo – e fast-food, por serem fontes de gorduras saturadas, o que prejudica a saúde e a dieta como um todo.

Para quem a Low Carb é indicada?

Geralmente, a dieta é indicada para todos os tipos de pessoas que buscam chegar ao peso ideal. Os defensores da Low Carb afirmam que nosso corpo evoluiu para comer menos carboidratos e mais proteínas, portanto, qualquer um pode se adaptar à nova rotina alimentar. Porém, vale lembrar que qualquer mudança brusca é prejudicial ao bom funcionamento do organismo. Pessoas que estão muito acostumadas com o consumo excessivo de carboidratos, acabam apresentando maiores efeitos colaterais, até que o corpo se acostume a rotina.
Efeitos Colaterais
– Como dissemos acima, os efeitos de uma dieta Low Carb são mais intensos em pessoas que têm alta ingestão de carboidratos, precisando que a reeducação seja feita de maneira gradual, minimizando os problemas. Alguns efeitos podem incluir:
– Dor de cabeça: As dores irão aparecer dependendo da quantidade de carboidratos que o organismo costuma receber. Por isso, mudanças bruscas não são recomendadas.
– Fraqueza: Principalmente nos primeiros dias. Por isso, é recomendável esperar algumas semanas de adaptação para iniciar atividades físicas mais intensas.
– Irritabilidade: Devido ao fato do organismo estar muito acostumado ao consumo alto de carboidratos, os sintomas da falta da substância podem se assimilar ao de abandono de vício. Por isso, os primeiros dias costumam trazer incômodos emocionais, como aumento da irritabilidade e estresse.
– Pessoas que apresentam doenças como insuficiência renal, cardíaca ou hepática ou diabetes não devem realizar a dieta.
– Falta ou excesso de sono: Isso pode se dar à mudança na rotina que faz com que o organismo reaja de maneiras diferentes, dependendo do paciente.

Resumo

A dieta Low Carb vem sendo discutida por especialistas, mas usa eficácia já foi comprovada em inúmeros pacientes que perderam peso de maneira rápida e segura. O ideal, como dissemos, é que a reeducação seja feita aos poucos, diminuindo o consumo de carboidratos gradativamente, para evitar efeitos colaterais muito intensos e debilitantes. Além disso, é sempre bom lembrar que qualquer mudança na alimentação ou na rotina física precisa ser acompanhada por um médico de confiança, pois ele irá realizar exames preventivos e ver se o paciente está apto a iniciar uma nova dieta. Exames cardiovasculares, de pressão, colesterol, diabetes e check-up nos rins são importantíssimos para a segurança como um todo. Jamais faça mudanças bruscas sem o devido acompanhamento.

Anabolizantes Landerlan :