X
    Categories: Artigos

Magnésio Dimalato – Benefícios, Para Que Serve, Como Tomar e Efeitos Colaterais

O magnésio dimalato é um suplemento de magnésio que além de ajudar a fortalecer os músculos e os ossos,
atua também na prevenção de diversas doenças.

Quer saber quais são os benefícios desse produto? Além de listar os bons motivos para começar a tomar
magnésio dimalato, vamos dar dicas de como tomar e mostrar se existem
contraindicações e efeitos colaterais relacionados ao seu uso.

Magnésio

O magnésio é um mineral
muito importante para o organismo humano. Cerca de 50% de todo o magnésio
absorvido é usado na composição dos ossos e, da mesma forma que o zinco, ele
participa ativamente de mais de 300 reações bioquímicas que ocorrem no nosso
corpo diariamente.

Essas reações são responsáveis pela construção e reconstrução muscular, pelas funções do sistema nervoso, pela saúde de coração, pela boa função do sistema imunológico, pela produção e regulação de diversos hormônios, redução dos níveis de açúcar no sangue, pela regulação da função da tireoide, pela contração muscular, dentre outras várias funções.

Sintomas de deficiência de magnésio

As deficiências
nutricionais ocorrem principalmente devido à má alimentação ou devido a
problemas de saúde que dificultam ou impedem a absorção correta dos nutrientes.

Como o magnésio está envolvido em muitos processos metabólicos, a falta desse mineral em quantidades adequadas pode causar sintomas e condições como:

  • Fadiga ou fraqueza muscular;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Enxaqueca;
  • Dor no corpo;
  • Cãibras e espasmos musculares;
  • Esgotamento físico após exercícios físicos;
  • Ansiedade;
  • Irritabilidade;
  • Náusea e vômito;
  • Confusão mental;
  • Pressão arterial baixa;
  • Alterações no ritmo cardíaco;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Depressão;
  • Unhas fracas;
  • Convulsões.

Existem também algumas
doenças e hábitos diários que prejudicam a absorção de magnésio e que podem
resultar na deficiência do mineral. Exemplos incluem:

  • Suor excessivo;
  • Doença renal;
  • Diabetes;
  • Hipertireoidismo;
  • Colite ulcerativa;
  • Síndrome do intestino irritável;
  • Pancreatite;
  • Uso de diuréticos;
  • Consumo excessivo de refrigerante, álcool, chá e café;
  • Menstruação intensa;
  • Ingestão de sal em excesso.

Alguns suplementos de magnésio

Embora esteja disponível em diversos alimentos como a banana, a aveia, o grão de bico, os peixes, o leite e o espinafre, o magnésio não é facilmente absorvido pelo corpo. Sendo assim, em alguns casos a suplementação com o mineral é necessária.

No entanto, existem vários
tipos de suplementos de magnésio no mercado. São vários tipos de sais como o
óxido de magnésio, o carbonato de magnésio e o sulfato de magnésio, por
exemplo, que são sintetizados com o objetivo de melhorar a biodisponibilidade e
a assimilação do magnésio pelo organismo. Alguns tipos de suplementos de
magnésio são:

  • Quelato de aminoácido de magnésio: o magnésio é ligado a um aminoácido como o ácido aspártico, a glicina ou a arginina para facilitar a absorção do mineral, o que aumenta a biodisponibilidade do mineral.
  • Citrato de magnésio: trata-se de um sal muito solúvel que é bem absorvido pelo organismo, mas cuja biodisponibilidade não é tão alta. Ele é usado para prisão de ventre e tem sido estudado para prevenir a formação de pedras nos rins.
  • Óxido de magnésio: o óxido de magnésio tem alta concentração de magnésio, mas uma biodisponibilidade reduzida, o que significa que grande parte do magnésio acaba se perdendo e não pode ser aproveitada pelo organismo. Ele é usado como um laxante e para tratar o refluxo ácido.
  • Orotato de magnésio: conhecido também como di-hidrato de orotato de magnésio, é um sal composto de ácido orótico e magnésio. Esse composto é capaz de atravessar as membranas celulares, o que faz com que o magnésio alcance as camadas mais internas das células e seja mais efetivo.
  • Lactato de magnésio: apresenta uma boa biodisponibilidade e é usado para tratar problemas digestivos, mas deve ser evitado por pessoas que sofrem de problemas nos rins.
  • Cloreto de magnésio: o cloreto de magnésio apresenta uma maior biodisponibilidade em relação ao óxido e ao citrato de magnésio, mas sua concentração de magnésio é menor do que de outros suplementos. Ele é muito usado para alívio de dores musculares.
  • Carbonato de magnésio: utilizado para azia e problemas estomacais, o carbonato de magnésio tem uma boa biodisponibilidade.
  • Sulfato de magnésio: conhecido também como sal de Epsom, o sulfato de magnésio pode ser adicionado na água de banhos para aliviar dores musculares.
  • Malato de magnésio: assim como as formas queladas, o malato de magnésio tem uma alta biodisponibilidade. No entanto, as concentrações de magnésio no composto são um pouco mais baixas.

Uma regra geral é que quanto maior a biodisponibilidade, ou seja, quanto maior a quantidade de magnésio que o corpo consegue absorver através de um suplemento, menor a concentração do mineral. Assim, ainda que as formas altamente biodisponíveis (como é o caso do malato de magnésio) ofereçam uma quantidade menor de magnésio em relação aos outros sais, praticamente todo o magnésio ali presente será aproveitado pelo organismo, o que torna o malato de magnésio um dos melhores suplementos de magnésio.

Magnésio
Dimalato – O Que é?

Conhecido também como malato de dimagnésio, o magnésio dimalato é uma forma de magnésio que é facilmente absorvida pelo organismo devido à sua alta biodisponibilidade.

Algumas vezes, o magnésio
dimalato é confundido com o malato de magnésio. As funções desses suplementos
são as mesmas, a única diferença é que o magnésio dimalato apresenta um íon
extra de magnésio em sua composição, o que aumenta a absorção do mineral pelo
organismo.

Assim, trata-se de um suplemento de magnésio produzido através da combinação de magnésio com ácido málico que é capaz de suplementar o magnésio deficiente no organismo de forma satisfatória. O ácido málico é um composto orgânico naturalmente encontrado em frutas como a maçã e em diversos vegetais que traz diversos benefícios para a saúde.

A combinação com o ácido málico transforma o suplemento em um composto orgânico, que é mais facilmente absorvido pelo corpo do que o magnésio elementar, que é a forma inorgânica da substância. Além de ser mais barato que outros suplementos, o magnésio dimalato tem como principal vantagem ser absorvido antes que efeitos colaterais indesejados como a diarreia sejam observados.

O produto também fornece outros benefícios relacionados à presença de ácido málico como a quelação de metais potencialmente tóxicos (processo através do qual toxinas como metais nocivos à saúde podem ser removidos do corpo) e como o suporte à produção de energia para as células.

Fontes de magnésio e ácido málico nos alimentos

O organismo humano não é
capaz de produzir magnésio. Assim, é importante obter esse nutriente através de
alimentos ou de suplementos dietéticos. Os alimentos que contêm magnésio
incluem:

  • Nozes como amendoim, amêndoas e castanha de caju;
  • Legumes como espinafre, batatas, cenouras e brócolis;
  • Leguminosas como feijão preto;
  • Grãos como aveia, arroz e cereais integrais;
  • Frutas como abacate, banana e maçã;
  • Carnes e peixes;
  • Produtos lácteos como leite e iogurte.

As fontes de ácido málico
nos alimentos são:

  • Frutas como laranja, maçã, banana, melancia, morango, amora, pêssego, cereja, damasco, manga, pera, uva, kiwi e nectarina;
  • Leguminosas como feijão e ervilha;
  • Legumes como brócolis, cenoura, batata, ruibarbo e tomate.

Para que serve

Como aumenta a absorção do
mineral, o magnésio dimalato pode ser usado para garantir que todas as funções
metabólicas envolvendo o magnésio sejam realizadas pelo organismo e também atua
na prevenção e no alívio de doenças como a fibromialgia além de dores
musculares, fadiga e prisão de ventre.

As células do nosso corpo
dependem de energia na forma de trifosfato de adenosina (ATP). Tanto o ácido
málico quanto o magnésio estimulam a produção de ATP e fornecem energia para as
células realizarem suas funções vitais. Alguns estudos indicam que pessoas com
condições como fibromialgia e síndrome da fadiga crônica não produzem
quantidades suficientes de ATP e que a suplementação com magnésio dimalato pode
auxiliar no tratamento dessas doenças.

Além disso, o ácido málico
também contribui para converter os alimentos em nutrientes para o corpo e o
magnésio também é essencial para formação e manutenção de ossos, músculos e
nervos.

O fato de conter ácido málico em sua composição contribui muito para os benefícios do magnésio dimalato, que vão além da suplementação apenas com magnésio.

Benefícios

Para entender para que serve o magnésio dimalato, nada melhor do que conhecer todos os seus benefícios para a saúde.

1. Nutrição e suporte as reações enzimáticas

A ingestão de magnésio recomendada diariamente é de 310 miligramas para mulheres e de 400 miligramas para homens. Essa é a quantidade mínima que alguém deve ingerir de magnésio diariamente através da alimentação. No entanto, nem sempre nos alimentamos bem o bastante para garantir essa recomendação. Nesses casos, a suplementação com magnésio dimalato pode ser útil para manter as reações bioquímicas dependentes de magnésio em pleno funcionamento.

2. Tratamento da fibromialgia

A fibromialgia é uma
doença que causa dores insuportáveis. Os sintomas da doença tendem a ir e voltar
sem aviso prévio e suas causas ainda não são bem determinadas, o que dificulta
o tratamento.

De acordo com o National Fibromyalgia Association, o
ácido málico pode ser prescrito como um tratamento natural para reduzir a dor e
aumentar os níveis de energia. Vários estudos sugerem que o uso de ácido málico
reduz significativamente as dores relacionadas à fibromialgia. Além disso,
quando o ácido málico é usado em conjunto com magnésio a longo prazo, os
resultados são ainda melhores quanto à diminuição da dor.

O magnésio também ajuda a reduzir os níveis do marcador de inflamação proteína C reativa e estudos indicam que a fibromialgia é influenciada por processos inflamatórios. Assim, o uso do suplemento pode reduzir a inflamação e auxiliar no tratamento da doença.

Segundo estudo da University of Maryland Medical Center, o malato de magnésio pode aliviar a dor e reduzir a sensibilidade associada à doença quando tomado por ao menos 2 meses. No entanto, em outras pesquisas semelhantes, não houve melhora significativa, o que indica que mais pesquisas ainda precisam ser feitas.

3. Alívio de sintomas da síndrome da fadiga crônica

A síndrome da fadiga
crônica é uma doença que causa sintomas parecidos com os da fibromialgia.

Assim, os mesmos efeitos benéficos em relação à fibromialgia podem ser observados no tratamento da síndrome como uma terapia natural alternativa para redução dos sintomas.

4. Produção de energia celular

O ácido málico desempenha
um papel muito importante na produção de energia para as células por meio do
chamado ciclo de Krebs. Em uma das últimas etapas desse ciclo, uma enzima
conhecida como fumarase transforma uma molécula de fumarato em malato (ácido málico
ionizado). Mesmo o ácido málico obtido por meio dos alimentos deve ser
transformado em malato no ciclo de Krebs antes de poder ser aproveitado para
geração de ATP (energia) para as células.

Assim, o magnésio dimalato já oferece o ácido málico ionizado, o que representa uma forma de ácido málico mais facilmente processada no ciclo de Krebs. Isso significa que o suplemento é capaz de aumentar os níveis de energia das células.

5. Remoção de metais do organismo e desintoxicação

O magnésio dimalato apresenta
um efeito quelante capaz de remover metais tóxicos como o alumínio do corpo.

O alumínio, quando acumulado
em excesso no nosso organismo, pode causar danos ao sistema nervoso central e
influenciar o desenvolvimento de distúrbios neurológicos como a doença de
Alzheimer e a demência. Ainda não se sabe o motivo exato, mas várias pesquisas
têm evidenciado esse efeito.

O uso de magnésio dimalato é interessante pois o alumínio acumulado no corpo devido ao uso de panelas de alumínio utilizadas para o cozimento de alimentos, por exemplo, pode ser removido, já que o alumínio se liga ao complexo de ácido málico assim como o magnésio.

Outros benefícios

  1. Saúde da pele: o magnésio dimalato apresenta ação esfoliante que ajuda a limpar a pele;
  2. Controle de bactérias orais: através do estímulo à produção de saliva e de suas propriedades antissépticas, o magnésio dimalato ajuda a controlar a proliferação de bactérias bucais;
  3. Redução da ansiedade: como o malato de dimagnésio tem um papel importante no sistema nervoso central, ele atua produzindo um efeito calmante que ajuda a regular o humor, diminuindo crises de ansiedade, inquietação e nervosismo, por exemplo;
  4. Atuação em diversas funções metabólicas: por causa do magnésio, o suplemento é capaz de reduzir o estresse oxidativo, regular o sistema imune, tratar a insônia, agir como um anti-inflamatório, dar suporte aos músculos, regular a pressão arterial sanguínea, controlar os níveis de colesterol, promover a boa saúde óssea e auxiliar a manter a saúde intestinal e as funções do sistema nervoso em bom funcionamento.

Há alguns indícios que não
foram totalmente comprovados cientificamente de que a suplementação com
magnésio pode prevenir alguns problemas de saúde como: a diabetes, a depressão,
a osteoporose, a enxaqueca, o câncer colorretal, a insuficiência ou arritmia cardíaca,
a perda auditiva temporária ou permanente relacionada ao ruído, a síndrome das
pernas inquietas e a aliviar alguns sintomas da tensão pré-menstrual.

Efeitos colaterais

A maioria dos suplementos de magnésio não costuma causar efeitos adversos. Porém, se tomado em doses muito altas, o suplemento pode causar alguns dos efeitos adversos mencionados abaixo:

  • Dor de cabeça;
  • Diarreia;
  • Cansaço;
  • Desconforto gastrointestinal
  • Movimentos intestinais incomuns.

Dosagem diária

Dúvidas podem surgir sobre
como tomar o magnésio dimalato. Não há uma quantidade exata para o magnésio
dimalato, apenas para o magnésio e o ácido málico separadamente.

Segundo órgãos de saúde, a
dose diária recomendada de magnésio é de:

  • 310 miligramas para
    mulheres entre 19 e 31 anos e de 320 miligramas para mulheres acima de 31 anos
    de idade;
  • 400 miligramas
    para homens entre 19 e 31 anos e de 420 miligramas para homens acima de 31 anos
    de idade.

Já as doses recomendadas de
ácido málico por dia variam de 1200 a 2800 miligramas.

Assim, para evitar uma
overdose de magnésio, a recomendação geral é que você não ultrapasse a dose
diária de 350 miligramas por dia ou que você siga as instruções presentes no
rótulo do suplemento de magnésio dimalato. Tomar mais que isso pode causar
efeitos adversos indesejados como diarreia, fadiga, micção frequente, confusão
mental e pressão arterial baixa.

Interações com medicamentos

O magnésio dimalato pode
reagir mal com alguns medicamentos e interferir na eficácia de tratamentos com
antibióticos, diuréticos, antiácidos, insulina, remédios para hipertensão e
reposição hormonal.

O ideal é que você entre em
contato com seu médico antes de tomar qualquer tipo de suplemento em conjunto
com esses remédios.

Contraindicações

O malato de dimagnésio é
considerado seguro para a maioria das pessoas. No entanto, ele é contraindicado
para pessoas que sofrem de insônia devido ao seu efeito estimulante que pode
dificultar ainda mais o sono.

Além disso, pessoas que têm desconfortos estomacais frequentes ou algum problema digestivo devem evitar o suplemento devido ao risco de o produto causar um efeito laxante. O suplemento também não é indicado para pessoas com doença renal ou que fazem tratamento para hipertensão. Como o magnésio pode reduzir a pressão arterial, é importante conversar com seu médico para evitar que a pressão fique baixa demais ao usar o magnésio dimalato em conjunto com um medicamento para tratar a pressão alta.

Considerações Finais

O magnésio é essencial para
inúmeros processos vitais no nosso organismo. O magnésio dimalato surge como um
suplemento de alta absorção e que combina as propriedades benéficas do ácido
málico com o magnésio.

Embora seja um suplemento
natural com baixo risco de efeitos colaterais, é sempre importante consultar um
médico antes de iniciar o uso, principalmente porque ainda não há muitas
pesquisas e estudos clínicos sobre os efeitos do malato de dimagnésio no
organismo a longo prazo.

Antes de tomar qualquer tipo
de suplemento, é importante fazer uma avaliação da sua alimentação diária e
tentar obter a maioria dos nutrientes necessários para uma boa saúde através da
escolha de alimentos saudáveis e naturais.

Anabolizantes Landerlan: