O que é Ginseng ? Benefícios e Efeitos Colaterais 2019

Vote neste post
O que é Ginseng ? Benefícios e Efeitos Colaterais 2019

O ginseng é uma das onze espécies diferentes de plantas de crescimento lento que podem ser encontradas ao redor do mundo, sendo uma espécie de planta do gênero panax, muito utilizada na medicina oriental por ser uma excelente fonte de aminoácidos essenciais, sendo alguns deles: arsênio, cobre, cobalto, fósforo, manganês, zinco, algumas vitaminas do grupo B, cálcio e muito mais, além disso, ele é tido como um método muito eficaz para melhorar o bem-estar e pode ser reconhecido como um dos remédios mais populares dentre as plantas medicinais por todo o mundo, ganhando destaque principalmente no oriente. O nome “ginseng” é de origem chinesa e pode ser traduzido como “raiz do homem”.

O maior crescimento que já foi estudado ocorreu nas montanhas da Manchúria, onde a cerca de cinco mil anos atrás, esta planta era utilizada para obter efeitos rejuvenescedores, além de melhorar a saúde das pessoas. A erva já foi considerada como símbolo de harmonia divina e muito desejada pelas pessoas importantes em épocas remotas da história oriental. As características dessa planta são: cor clara, raiz em forma de forquilha, caule razoavelmente extenso e folhas verdes em formato oval. As folhas desta planta são consideradas benéficas para tratamentos de condições médicas simples e crônicas, além de promover melhorias no funcionamento cerebral, na saúde do coração e de possuir ação anti-inflamatória.

COMO FUNCIONA O GINSENG?

Esta planta tem sido amplamente utilizada para tratamento de inúmeros casos de doenças. Infelizmente, como ela não é muito popular no ocidente ainda, pode-se perceber que muitas vezes as propriedades terapêuticas e medicinais do ginseng são questionadas e até mesmo contestadas (mesmo sem terem algum tipo de prova) por cientistas ocidentais e profissionais de saúde por causa da pouca investigação que é aplicada para que seja possível determinar a sua verdadeira eficácia na medicina. Diversas pessoas que mantém uma rotina de consumo desta planta afirmam que ela pode ser utilizada mais facilmente na forma de pílulas, já que torna a ingestão bem mais prática e rápida. Recentemente esta erva passou a ser muito consumida, devido ao fato de ser capaz de fornecer grandes quantidades de energia e ainda conseguir auxiliar na prevenção de fadigas musculares.

O seu uso é muito indicado para praticantes de atividades físicas e também para indivíduos que buscam aprimorar a capacidade mental delas, em casos de cansaço e fraqueza mental. Foram realizados alguns estudos na Clínica Mayo (conhecida pela sua confiabilidade) revelaram que o consumo regular de ginseng pode auxiliar na conquista de bons resultados para pacientes com quadros de câncer, reduzindo a fadiga e estresses dos pacientes. Além disso, a ingestão desta planta fornece melhoras às funções cognitivas e é obtido através da melhoria na capacidade de raciocínio lógico e também na cognição. Outras pesquisas que foram realizadas recentemente na Faculdade de Medicina da Universidade de Nantong e tiveram seus resultados publicados no The Cochrane Library, demonstraram alguns indícios sobre os benefícios e também sobre a provável eficácia no uso diário do ginseng para melhorar o desempenho acadêmico/escolar e professional.

Esta planta é composta por sete constituintes principais, por isso, pode oferecer diversos efeitos, sendo um deles o efeito anti-inflamatório (devido a presença de ginsenosídeos, que possuem um efeito imunossupressor). Pesquisadores ainda afirmam que a função anti-inflamatória dele deve-se ao fato da presença desses ginsenosídeos em sua constituição, já que eles conseguem atingir diversos níveis de atividade imunológica.

Ainda não existem comprovações científicas suficientes, mas diversas pessoas afirmam, especialmente aquelas que fazem o seu uso regular, que o ginseng aparenta possuir algumas propriedades anticancerígenas. Um fato que corrobora com esta afirmação são algumas pesquisas realizadas na Ásia, que têm relacionado o consumo regular desta planta a um risco menor de ocorrência de câncer e surgimento de nódulos, já que a mesma pode melhorar a qualidade de vida.

Além de tudo isso, o ginseng também pode oferecer um suporte para tratamento de disfunção erétil de homens, onde um estudo realizado na Coreia em 2002 descobriu que a dois terços dos homens que fizeram o uso regular de ginseng obtiveram melhora significativa em seus sintomas.

QUAL A FUNÇÃO DESTE SUPLEMENTO?

Ambos as versões da planta: a American Ginseng (Panax quinquefolius, L.) e Ginseng Asiático (P. ginseng) são excelentes fontes de aminoáciodos, sendo as suas principais funções: fornecimento de impulsos de energia, redução nos níveis de açúcar no sangue e nos níveis de colesterol, redução do estresse, relaxamento, tratamento de diabetes, além de auxiliar no tratamento da disfunção sexual em homens. Deve atentar-se que a Siberian Ginseng (Eleutherococcus senticosis) não é um verdadeiro ginseng e não pertence ao género “Panax”, sendo ela uma planta pertencente à família Araliaceae.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DO GINSENG?

Como dito anteriormente, esta planta é rica em aminoácidos essenciais, logo o número de benefícios que ela proporciona é enorme. Sendo alguns deles:

– Auxilia na manutenção do cérebro: Como o ginseng atua na dilatação dos vasos sanguíneos, ele faz com que mais sangue chegue ao cérebro, o que promove uma melhoria na concentração, no desempenho cognitivo e muito mais. Além disso, o consumo diário desta planta reduz a ocorrência de inflamações dos neurônios, evitando assim a degeneração cerebral e prevenindo doenças como o Parkinson e o Alzheimer (doenças que afetam principalmente as pessoas idosas).

Melhora a saúde do coração: O consumo de ginseng é benéfico para o coração de diversas maneiras. Por exemplo, a sua ação anti-inflamatória previne a aterosclerose (um tipo de distúrbio que ocorre quando há o acúmulo de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias que formam placas e impedem a circulação plena do fluxo sanguíneo). Além disso, o seu consumo regular promove a dilatação dos vasos sanguíneos, permitindo que uma maior quantia de sangue chegue mais facilmente ao cérebro. Já alguns estudos apontam que se consumido regularmente em uma dieta balanceada, ocorre uma diminuição nos níveis de colesterol, isto deve-se ao fato dele fazer com que a maior parte do colesterol seja absorvida pela bile, promovendo também a elevação da taxa do colesterol bom (HDL).

Reduz o nível de estresse: Os constituintes do ginseng agem sobre a glândula suprarrenal que estimula a produzir o cortisol, principal hormônio do estresse, provocando uma redução em sua função, consequentemente reduzindo os níveis de estresse.

Promove uma redução na fadiga: Reduz a fadiga ao estimular o sistema nervoso central, regulando ou aumentando as funções cerebrais, fornecendo mais energia ao indivíduo.

Ação anti-inflamatória:  O ginseng age combatendo as inflamações originadas devido à produção de citocinas pró-inflamatórias, que geralmente ocorrem em casos de pessoas que apresentam quadros de diabetes e obesidade, por exemplo.

Melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer: Alguns estudos realizados em pacientes, observou que em casos de câncer, o consumo de ginseng melhora a qualidade do sono e o apetite do paciente.

COMO USÁ-LO?

Apesar do caule do ginseng também conter saponinas, a parte que é normalmente ingerida é a raiz. O ginseng está disponível comercialmente sob a forma de pó, cápsulas, preparados para infusões, extratos líquidos, etc. No que diz respeito a suplementação, os especialistas geralmente recomendam a ingestão diária (que varia de acordo com as necessidades), a partir de 200 mg a 1 g. Como para a raiz seca, com a qual se pode preparar infusões, mas que também pode ser mastigada, a quantidade que deve ser ingerida varia entre 0,5 a 2 gramas por dia. Para encontrar a dose adequada de ginseng que atenda às suas necessidades, é preciso consultar um professional especializado, para te auxiliar e orientar. Deve-se atentar que o uso de forma prolongada do ginseng não é recomendada por trazer diversos problemas ao seu usuário, sendo assim recomendado usá-lo apenas durante momentos em que ele seja realmente necessário, obedecendo um limite máximo de 2 a 3 semanas seguidas de uso e depois fazer uma pausa estendida antes de retomar o seu uso.

QUAIS OS EFEITOS COLATERAIS?

Em caso de hipersensibilidade a um dos componentes da fórmula poderão ocorrer os sinais e sintomas de um processo alérgico (prurido e eritema cutâneo). Nas pessoas hipersensíveis, as saponinas do ginseng podem provocar insônia. Existe a possibilidade (em casos mais raros) de ocorrer: sangramento vaginal, mastalgia, mania, hipertensão arterial, diarreia, hipoglicemia e inibição da agregação plaquetária.

QUAIS AS CONTRAINDICAÇÕES?

Como o ginseng possui interações com alguns medicamentos antidepressivos, anticoagulantes e para ansiedade, as pessoas que fazem o uso regular de qualquer um desses remédios deve evitar o consumo desta planta. Além disso, pessoas com quadro de hemofilia, crianças, gestantes e lactantes também devem evitar o consumo. Já as pessoas que irão fazer uma cirurgia devem suspender o consumo de ginseng uma semana antes do procedimento e três dias após, retornando ao seu uso somente após aprovação especializada e liberação médica.

ONDE ENCONTRAR?

Como o ginseng passou a ser amplamente utilizado devido a sua enorme lista de benefícios, esteja atento na hora de comprar e busque sempre lojas confiáveis de produtos naturais ou sites seguros e confiáveis. A qualidade do extrato da raiz e a concentração do mesmo influenciam nos resultados que podem ser obtidos com a ingestão da planta. Lembre-se que a ajuda de um especialista é de grande ajuda, além de receber orientação adequada, você estará maximizando os seus resultados e a sua eficácia.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Deixa uma mensagem no whatsapp, responderemos assim que possível.

(11) 94272-6195